Um Conto de Fadas

Capítulo 1

 Eu abri os olhos para o fogo que lambia meu corpo. O grito escapou antes que eu pudesse trancá-lo e a chicotada veio logo em seguida. Não havia chicote, Ele nunca arriscaria estragar o festido flamejante, mas a dor me fez gritar novamente.

Não sei quanto tempo durou até que desmaiei. A preparação para o desfile era sempre uma experiência intensa, agonia não estava à venda. Ainda. Eu vestia fogo e Ele guardara às lágrimas, as cortinas logo vão se abrir e os convidados querem ser entretidos com sorrisos e esperanças falsas.

Minha pele já não sentia nada e eu andava pelo salão para não pensar. Não lembrar da dor, da fome, do horror. A música tocava e não havia banda, o salão era iluminado por sombras que riam e o lorde se sentava no trono de sonhos inalcançáveis.

Andei por dias, exibindo o fogo como se este me pertencesse. Esqueci quem era e onde estava, mas não podia parar enquanto ele não mandasse. O desfile acabou e eu vi outras como eu serem levadas por nuvens e árvores e seres tão horripilantes que só lembro dos olhos remelentos. E eu fiquei só.

 

Os desfiles aconteciam sempre e eu cada vez vestia um pesadelo diferente.. Todas as outras modelos eram levadas embora ao final de cada festa e eu permanecia com o Lorde. Ele sorria mostrando os dentes finos como agulhas para mim e eu estremecia. Sobrevivi muito tempo. Tempo suficiente para lembrar de uma vida que eu sonhei.

 

Lembro de ficar assustada e surpresa quando Ele a trouxe. Era apenas uma criança! Disse a mim mesma que não deixaria que a levassem. Aquela menina foi a minha salvação. Ela chamava pela mãe e eu não entendia o que ela queria mas sabia que tinha a ver com meus sonhos.

E todos os dias ela chorava, apanhava e clamava pela mãe e, com ela, eu ouvi um choro diferente que apertou meu coração e a dor da perda me tomou por inteira. Eu guardei aquelas lágrimas. Era a minha passagem de volta para a minha filha.

Chorei todos os dias até que inundei meu quarto. Então chamei o Lorde e nós fizemos um acordo selado pelo destino. Ele aceitou relutantemente o meu preço e, com a garota, eu fugi.

Um comentário em “Um Conto de Fadas

  1. Muito bom, é como se as palavras fizessem você viajar em uma ilusão doce podendo sentir o que o personagem diz, de algum modo as palavras tocam seu coração o transportando para dentro do personagem de maneira que você possa sentir o que ele senti…A Senhorita tem o dom de arrancar lágrimas, tem o dom de tocar coração de maneira única, geralmente as pessoas que escrevem com o coração e com a alma tem este dom.. Parabéns!

    [Reply]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *